segunda-feira, 27 de junho de 2016

Democracia e informação na rede. O que sabemos? O que fazemos?

O que publicamos reflete diretamente nas nossas vidas
É muito preocupante que as pessoas acreditem saber tudo quando na verdade não sabem de nada. Muitos se revestem do status da sua profissão (médicos, advogados, engenheiros, juízes), outros da "palavra de Deus" (homem temente a Deus, servo do senhor, católico, evangélico, cristão, etc.) na tentativa de encerrar um debate e impor sua opinião, sua vontade. Mas a democracia não funciona assim. Ela exige discussão e principalmente conhecimento.

Vejo as pessoas falando sobre um tal "doutrinamento marxista" nas escolas, na sociedade brasileira, mas elas nem sabem do que estão falando, pois reproduzem o que alguns veículos de mídia (como algumas revistas sensacionalistas semanais e programas de TV vazios de compromisso com a democracia e completamente parciais) repetem e querem impor à nossa sociedade.

E eu pergunto, quem conhece a fundo a História? Quem estudou sobre o que foi a ditadura soviética ou a ditadura cubana, que tanto é falada? Quem de fato leu a obra de Marx e Engels, o capital, o manifesto do partido comunista? É difícil achar alguém que conheça... Mas é muito, muito fácil, achar quem opine sobre tudo isso sem conhecimento de causa, sem saber o que está falando de fato.

Você pode transformar qualquer pessoa em monstro ou Santo de acordo com qualquer fase da vida dessa pessoa, embora isso não prove que você esteja certo. Será apenas um ponto de vista falho. Querem um exemplo? Gandhi. Para muitos ele é um santo, o salvador do povo da Índia. Mas outros o vêem como um monstro, por não lutar contra as castas que ainda existem naquela sociedade. Querem mais um exemplo? Madre Teresa de Calcutá. Vai ser canonizada agora pelo Vaticano, pela sua contribuição à humanidade, por seus milagres. Mas há quem diga que de Santa ela não tinha nada, pois era cruel com os pacientes que acolhia em seus hospitais, os maltratando para forçar as pessoas a lhe dar donativos. Outros falam de Lênin, que para uns foi um monstro pelas suas ações na formação da União Soviética, e para outros um bom homem por ter derrubado o regime czarista. Poderíamos falar de centenas, milhares de pessoas com seus lados bons e ruins, mas isso não mudaria o fato de que eles foram humanos e por isso mesmo passíveis de erros.

Enfim, o que quero dizer com esse texto é que devemos ter muito cuidado quando falarmos de alguém ou de determinada coisa. Devemos pensar, ler, estudar, fazer o máximo para aprender algo antes de tentar exprimir uma opinião, para não cometermos equívocos, não cometermos injustiças. E principalmente, devemos nos despir de nossos preconceitos, ouvir mais e estar aberto a novas ideias. Querer impor a própria vontade não é algo que se espera na democracia. A discussão, a abertura e a possibilidade de ouvir o outro lado sim.

O resultado de tanta falta de conhecimento, de tanta bobagem jogada na rede e compartilhada incansavelmente é a ameaça gigantesca de retrocessos que estamos vendo agora no nosso país. 

Torço por dias melhores, mas por cidadãos mais conscientes dos seus atos também...

Grande abraço!

- Thiago Amorim

Nenhum comentário: