domingo, 14 de agosto de 2011

Odeio o dia dos pais!


Hoje é o dia que todo mundo se confraterniza e visita o pai. Em todos os lugares a festa é grande, há troca de presentes e a felicidade reina. Bem, na minha casa não. E esse é o motivo de odiar o dia dos pais.

Para quem me conhece não é novidade que meu pai não está mais presente. Ele deixou a mim e a minha família há cerca de onze anos, não por vontade própria, mas por capricho do destino. Meu pai tinha 47 anos apenas (na verdade eram 49, mas ele mentia a idade para todo mundo), e morreu de um ataque cardíaco fulminante dois dias depois do carnaval.

A experiência foi traumática e acredito que criei um “bloqueio” para superá-la. Assim, quando meus amigos falam a respeito disso costumo brincar com o ocorrido utilizando o maior grau possível de “humor negro”. Faço brincadeiras, reclamo de diversas situações e o xingo o tempo todo, de forma que todos devem, no mínimo, pensar que o odeio, ou não o respeito. 

O que não demonstro, entretanto, é a falta que ele faz, e a vontade de poder dizer o mesmo que meus amigos: “vou ver meu pai hoje”.

-- Thiago Amorim

3 comentários:

Ramirez Dittrich disse...

Olá Thiago,

sempre que visto seu espaço, que de imensuradas palavras vistas pelos olhos da vida descoberta, deleito minha alma em cada fração de texto e aprecio com o conhecimento que nos ofereces.
Desculpe o fato de ser sincero em falar-te de que do mesmo modo como seus amigos visitam seus pais, você também o visita em lembrança, Honrando com esse bau de tesouro existente em sua mente e que a chaves guarda.
Isso é muitas vezes mais precioso do que o momento em si, pois na presença do mesmo muita vezes nos descuidamos com palavras e até mesmo geramos desconforto e tristeza.
Agora quando abrimos essa porta em nossa mente para revermos uma lembrança, vemos que somente eternizou-se o bom e agradavél, aqui-lo que nos deixa saudosos.
Abraçe essas lembranças pois sempre o teras presente na construção do seu caráter.
Abraços
RamirezDittrich

RafadeOliveira disse...

Poxa, Thiago... Que coisa mais chata, você era tão novo quando perdeu seu pai. Mas espero que apesar dessa data ser ruim para você, as outras sejam ótimas e que sua vida seja repleta de felicidade.

Bjs
Rafa
rafadeoliveira-tudosobrequalquercoisa.blogspot.com

Thiago Amorim disse...

Obrigado pelos comentários!
Grande abraço!